Para melhor lhe atendermos, criamos este espaço com diversas orientações e esclarecimentos.

Confira informações importantes sobre a CASU e como funciona seus planos.

Coparticipação

1. O QUE É COPARTICIPAÇÃO

 
Corresponde à parte efetivamente paga pelo beneficiário à Operadora de Plano de Assistência à Saúde sobre a realização de procedimentos ambulatoriais e internações, por si, seus dependentes, constantes na tabela de procedimentos regulamentada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), denominada Terminologia Unificada da Saúde Suplementar (TUSS).
 
 
O que é um plano coparticipativo?
É uma modalidade de plano de saúde em que o custo fixo da mensalidade é mais acessível, pois o beneficiário arca com parte do valor dos procedimentos ambulatoriais e internações, somente quando realizá-los (exceto as internações psiquiátricas que tem regras próprias), conforme o produto no qual está vinculado.
 
Onde posso consultar o detalhamento da minha utilização que gerou a incidência da coparticipação?
O associado deverá fazer um cadastro no Portal da CASU/UFMG, através do Menu AUTOATENDIMENTO >> Extrato de Utilização (Serv Médicos) >> Informar sua Matrícula ou CPF + Senha, para ter acesso ao detalhamento de sua utilização, como data e o valor da coparticipação de cada atendimento.
 
O titular do plano poderá ter acesso ao detalhamento de utilização de seus dependentes/agregados maiores?
Não.
O titular terá acesso às suas informações assistenciais e dos menores de 18 anos, pois o detalhamento de utilização dos dependentes e agregados maiores de 18 anos não podem ser fornecidas ao titular em razão inviolabilidade do sigilo das informações assistenciais de acordo com o artigo 5º,  inciso X da Constituição Federal de 1988 e a Resolução Normativa da Agência Nacional de Saúde Suplementar nº 21.
 
Vide Resolução Normativa nº 21 da Agencia Nacional de Saúde: (http://www.ans.gov.br/index.php?option=com_legislacao&view=legislacao&task=TextoLei&format=raw&id=584) e Artigo 5º, X, da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988: (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm).
 
Resaltamos que o descumprimento da legislação citada acima, por parte da operadora acarreta sanções, como por exemplo, advertências, aplicação de multas, além de processos administrativos e judiciais.
 
Quanto tempo após a realização do procedimento a coparticipação é enviada para a minha residência?
A CASU/UFMG só emite os boletos de coparticipação para os associados após o recebimento das faturas dos prestadores de serviços, a realização da análise técnica e o pagamento das mesmas. Este processamento demora, em média, 60 dias.
 
O associado  terá que pagar algum valor de coparticipação no ato do atendimento?
Não.
Ele receberá o boleto com os respectivos valores após 60 (sessenta) dias da utilização assistencial, aproximadamente.
 
Como o associado saberá quanto pagará de coparticipação (antecipadamente e posteriormente à realização do procedimento)?
Através do Portal da CASU/UFMG na área restrita, pelo atendimento presencial ou pelo CASU 24 Horas, no telefone (31) 3499-7200 Grande BH e 0800 286 7200 - Demais localidades. 
 
Como funcionará a operacionalização da cobrança da coparticipação?
A coparticipação será cobrada somente quando houver a utilização dos serviços assitenciais. A cobrança será realizada a parte da mensalidade, atraves de boletos bancários específicos ou débito em conta corrente, mediante autorização do titular junto à CASU/UFMG e sua agência bancária.
 
A CASU/UFMG pode cobrar coparticipação do associado, após o desligamento do plano?
Sim.
Se o associado utilizou o plano de saúde durante o vínculo entre ele e a CASU/UFMG, mesmo após o desligamento do plano, será devida a cobrança da coparticipação em razão da utilização assistencial.
 
Onde o associado poderá esclarecer dúvidas sobre a Coparticipação?
Os setores de Apoio Eletrônico - CASU 24 Horas e Apoio Presencial estão aptos para esclarecer todas as dúvidas inerentes à coparticipação, o associadodeverá entrar em contato através da Central de Atendimento Telefônico - CASU 24 HORAS, que funciona 24 horas por dia e 7 dias por semana, nos Postos de Atendimento Presencial ou pelo Portal da CASU/UFMG.
 
Existe algum setor responsável especificamente pela coparticipação na CASU/UFMG?
Sim.
O Setor de Coparticipação mantém interface com os setores de Apoio Eletrônico e Presencial para atuar nas dúvidas sobre a geração ou inconsistência da cobrança da coparticipação.
 
Dentre outras funções o setor verifica a correta aplicabilidade da incidência da coparticipação na utilização dos associados, analisa as manifestações relacionadas ao tema, quando não sanadas ou resolvidas pelos Setores de Apoio Eletrônico e Presencial da CASU/UFMG.
 
 

2. ORIENTAÇÕES SOBRE A COPARTICIPAÇÃO DOS PLANOS CONVENCIONAIS ATÉ 31/03/2016.

 
Incidência de Coparticipação para os planos: CASU Enfermaria, CASU Apartamento, Agregado CASU Enfermaria, Agregado CASU Apartamento não comercializados, mas ainda vigentes, com utilizações assistenciais até 31 de março de 2016;
 
 
Atenção: Até 31 de Março de 2016 os planos: CASU Enfermaria, CASU Apartamento, Agregado CASU Enfermaria, Agregado CASU Apartamento, não comercializados, mas ainda vigentes, estão submetidos às regras de Incidência de Coparticipação nos termos da Resolução do Conselho Consultivo n° 20 de 27 de maio de 2013.
 
Nos planos CASU Enfermaria, CASU Apartamento, Agregado CASU Enfermaria, Agregado CASU Apartamento, não comercializados, mas vigentes, com utilizações assistenciais até o dia 31 de março de 2016, quando o associado exceder os limites descritos na Resolução do Conselho Consultivo da CASU nº 20 de 27 de maio de 2013 (http://www.casu.com.br/PortalEditor/Userfiles/file/RESOLUCAO%20CC%20020-2013%20CO%20PARTICIPACAO.pdf) haverá incidência de coparticipação em 25% (vinte e cinco por cento) do valor total dos serviços médicos utilizados, conforme tabela de remuneração de serviços da CASU/UFMG à seus prestadores de serviços.
 
 
Para as terapias nos planos: CASU Enfermaria, CASU Apartamento, Agregado CASU Enfermaria, Agregado CASU Apartamento, como funcionam a cobertura do Rol da ANS, a autorização prévia e a coparticipação, com utilização dos serviços médicos hospitalares utilizados até 31 de março de 2016?
 
 
 
 
 
COBERTURA ROL ANS/CASU
AUTORIZAÇÃO
COPARTICIPAÇÃO
Psicologia
Menor de 14 anos
18 ou 40 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 19º atendimento por ano contrato
A partir do 21º atendimento por ano contrato
Psicologia
Maiores de 14 anos
18 ou 40 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 19º atendimento por ano contrato
A partir do 13º atendimento por ano contrato
Terapia Ocupacional
Menor de 14 anos
12 ou 40 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 13º atendimento por ano contrato
A partir do 21º atendimento por ano contrato
Terapia Ocupacional
Maior de 14 anos
12 ou 40 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 13º atendimento por ano contrato
A partir do 13º atendimento por ano contrato
Fonoaudiologia
Menor de 14 anos
12, 24, 48 ou 96 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 13º atendimento por ano contrato
A partir do 21º atendimento por ano contrato
Fonoaudiologia
Maior de 14 anos
12, 24, 48 ou 96 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 13º atendimento por ano contrato
A partir do 7º atendimento por ano contrato
Nutrição
06,12 ou 18 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 7º atendimento ano por contrato
A partir do 7º atendimento por ano contrato
Fisioterapia
Sem limite
Não
A partir do 41º atendimento por ano contrato
RPG
Sem limite
Não
A partir do 11º atendimento por ano contrato
 
 
 

3. ORIENTAÇÕES SOBRE A COPARTICIPAÇÃO NOS PLANOS CONVENCIONAIS A PARTIR DE 01/04/2016.

Ocorrerá alterações nos valores das coparticipações para os "Planos Convencionais" a partir de 01/04/2017

 

Incidência de Coparticipação para os planos: CASU Enfermaria, CASU Apartamento, Agregado CASU Enfermaria, Agregado CASU Apartamento, não comercializados, mas vigentes, com utilizações assistenciais a partir de 01 de abril de 2016;
 
A partir de 01 de abril de 2016, os planos: CASU Enfermaria, CASU Apartamento, Agregado CASU Enfermaria, Agregado CASU Apartamento estarão submetidos às regras de incidência de coparticipação contidas na Resolução do Conselho Consultivo n° 001  de 29 de fevereiro de 2016. Assim, todos os procedimentos contantes na Tabela de Terminologia Unificada da Saúde Suplementar – TUSS terão incidência da coparticipação, salvo os procedimentos isentos.
 
 
A coparticipação de uma consulta médica nos planos: CASU Enfermaria, CASU Apartamento, Agregado CASU Enfermaria, Agregado CASU Apartamento, a partir de 01 de abril de 2016, será de R$ 17,80. Se o associado retornar ao mesmo médico, em menos de 30 dias, terá que pagar mais R$ 17,80? Como saber se o atendimento é um retorno ou nova consulta?
Conforme a Resolução 1958/2010 do Conselho Federal de Medicina (http://www.portalmedico.org.br/resolucoes/CFM/2010/1958_2010.htm), o médico é quem irá definir se o atendimento configurou um retorno ou uma nova consulta, independente do prazo entre as mesmas. Se for considerado uma nova consulta o associado receberá a coparticipação do citado atendimento.
Se durante a consulta ocorrer algum procedimento realizado pelo médico assistente (ex: eletrocardiograma ou exames oftalmológicos, entre outros), sobre este também há incidência de coparticipação.
 
As consultas de urgência e emergência e os procedimentos ambulatoriais realizados no pronto atendimento hospitalar terão incidência de coparticipação nos planos: CASU Enfermaria, CASU Apartamento, Agregado CASU Enfermaria, Agregado CASU Apartamento a partir de 01 de abril de 2016?
Sim.
A incidência de coparticipação é por atendimento e se o associado for avaliado por vários especialistas neste atendimento, todas as consultas (especialidades) serão coparticipadas.
 
O associado dos planos: CASU Enfermaria, CASU Apartamento, Agregado CASU Enfermaria, Agregado CASU Apartamento, compareceu a um atendimento de urgência/emergência em um hospital, consultou, fez exames e evoluiu para internação. Ele vai pagar Coparticipação? 
Em todo atendimento de urgência e emergência que evoluir para internação, o associado irá efetuar o pagamento somente da coparticipação da internação, conforme sua acomodação, salvo as internações psiquiátricas que possuem regras próprias. Neste sentido, não haverá a incidência da coparticipação na consulta de pronto socorro e nem sobre os procedimentos ambulatoriais realizados durante o atendimento de urgência.
 
Como funciona a incidência de coparticipação nas internações (exceto as psiquiátricas, que possuem regras próprias) nos planos:CASU Enfermaria, CASU Apartamento, Agregado CASU Enfermaria, Agregado CASU Apartamento?
Há incidência da coparticipação na internação de acordo com a acomodação do plano no qual o associado está vinculado, independente do tempo de internação, assim se a acomodação do associado for enfermaria o valor da coparticipação é de R$ 71,19 e na acomodação apartamento será no valor de R$118,64.
 
 
Para as terapias nos planos: CASU Enfermaria, CASU Apartamento, Agregado CASU Enfermaria, Agregado CASU Apartamentocomo funcionará a cobertura pelo Rol da ANS, a autorização prévia e a coparticipação nas com utilização a partir de 01 de abril de 2016?
 
 
COBERTURA ROL ANS/CASU
AUTORIZAÇÃO
COPARTICIPAÇÃO
Psicologia
Menor de 14 anos
18 ou 40 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 19º atendimento por ano contrato
A partir do 1º atendimento por ano contrato
Psicologia
Maiores de 14 anos
18 ou 40 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 19º atendimento por ano contrato
A partir do 1º atendimento por ano contrato
Terapia Ocupacional
Menor de 14 anos
12 ou 40 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 13º atendimento por ano contrato
A partir do 1º atendimento por ano contrato
Terapia Ocupacional
Maior de 14 anos
12 ou 40 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 13º atendimento por ano contrato
A partir do 1º atendimento por ano contrato
Fonoaudiologia
Menor de 14 anos
12, 24, 48 ou 96 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 13º atendimento por ano contrato
A partir do 1º atendimento por ano contrato
Fonoaudiologia
Maior de 14 anos
12, 24, 48 ou 96 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 13º atendimento por ano contrato
A partir do 1º atendimento por ano contrato
Nutrição
06,12 ou 18 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 7º atendimento ano por contrato
A partir do 1º atendimento por ano contrato
Fisioterapia
Sem limite
Não
A partir do 1º atendimento por ano contrato
RPG
Sem limite
Não
A partir do 1º atendimento por ano contrato
 
 
 
Quais procedimentos são isentos da incidência de coparticipação nos planos: CASU Enfermaria, CASU Apartamento, Agregado CASU Enfermaria e Agregado CASU Apartamento com utilização a partir de 01 de abril de 2016?
 
1. Procedimentos listados nos grupamentos da Tabela Referencial da CASU/UFMG - TUSS - Terminologia Unificada da Saúde Suplementar nos seguintes grupamentos:
 
· Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (medicina transfusional) e seus subgrupos;
· Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (radioterapia) e seus subgrupos;
 
2. Procedimentos que contenham a seguinte terminologia na Tabela Referencial da CASU/UFMG - TUSS- Terminologia Unificada da Saúde Suplementar:
 
· Hemodiálise;
· Hemodepuração de casos agudos ou diálise peritoneal;
· Terapia oncológica;
· Mamografia;
· Antígeno específico prostático;
· PSA;
· Pesquisa de sangue oculto nas fezes;
· Coleta de material cérvico-vaginal;
· Procedimento diagnóstico em citopatologia cérvico vaginal oncótica
 
 

4. ORIENTAÇÕES SOBRE INCIDÊNCIA DE COPARTICIPAÇÃO PARA OS PLANOS: IFES VI ENFERMARIA E IFES VI APARTAMENTO, COMERCIALIZADOS.

               
Os planos IFES VI Enfermaria e Apartamento são exclusivos para servidores vinculados à Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri – UFVJM que possui convênio próprio com a CASU/UFMG.
 
Atenção: Os planos IFES VI Enfermaria e IFES VI Apartamento estão submetidos às regras de Incidência de Coparticipação constantes na Resolução do Conselho Consultivo n° 20 de 27 de maio de 2013.
 
Nos planos, IFES VI Enfermaria e IFES VI Apartamento, quando o associado exceder os limites descritos na Resolução do Conselho Consultivo da CASU/UFMG nº 20 de 27 de maio de 2013 a coparticipação será de 25% do valor total do evento realizado, conforme tabela de remuneração de serviços da CASU/UFMG a seus prestadores de serviços.
 
 
Para os planos IFES VI Enfermaria e IFES VI Apartamento como funciona a cobertura pelo Rol da ANS, a autorização prévia e a coparticipação?
 
 
 
COBERTURA ROL ANS/CASU
AUTORIZAÇÃO
COPARTICIPAÇÃO
Psicologia
Menor de 14 anos
18 ou 40 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 19º atendimento por ano contrato
A partir do 21º atendimento por ano contrato
Psicologia
Maiores de 14 anos
18 ou 40 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 19º atendimento por ano contrato
A partir do 13º atendimento por ano contrato
Terapia Ocupacional
Menor de 14 anos
12 ou 40 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 13º atendimento por ano contrato
A partir do 21º atendimento por ano contrato
Terapia Ocupacional
Maior de 14 anos
12 ou 40 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 13º atendimento por ano contrato
A partir do 13º atendimento por ano contrato
Fonoaudiologia
Menor de 14 anos
12, 24, 48 ou 96 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 13º atendimento por ano contrato
A partir do 21º atendimento por ano contrato
Fonoaudiologia
Maior de 14 anos
12, 24, 48 ou 96 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 13º atendimento por ano contrato
A partir do 7º atendimento por ano contrato
Nutrição
06,12 ou 18 atendimentos por ano contrato conforme diagnóstico
A partir do 7º atendimento ano por contrato
A partir do 7º atendimento por ano contrato
Fisioterapia
Sem limite
Não
A partir do 41º atendimento por ano contrato
RPG
Sem limite
Não
A partir do 11º atendimento por ano contrato
 
 

5. COMO FUNCIONA A INCIDÊNCIA DA COPARTICIPAÇÃO NAS INTERNAÇÕES PSIQUIÁTRICAS EM TODOS OS PLANOS DA CASU/UFMG?

O associado terá a incidência da coparticipação a partir do 31º dia de internação, contínuos ou não, por ano de adesão do beneficiário, não cumulativos, obedecendo aos seguintes percentuais: do 31º dia a 60º dia de internação a coparticipação é de 25% do valor total dos serviços utilizados; a partir do 61º dia de internação a coparticipação é de 50% do valor total dos serviços utilizados. 
 

Autorização de Procedimentos

- Para realização de exames é imprescindível que o pedido médico ou formulário de solicitação sejam do convênio da CASU/UFMG ou do próprio médico solicitante. O pedido deve conter CID-10 ou justificativa médica, data, carimbo e assinatura do médico (quando o receituário não for em papel timbrado) e não pode haver rasuras. 
 
- Sempre que você encontrar a frase “Consultar previamente a CASU” nas especialidades credenciadas para realizar determinado procedimento, significa que deverá procurar a CASU/UFMG para solicitar autorização prévia antes de realizar o mesmo.
 
- Os pedidos para autorização prévia poderão ser enviados:
As Solicitações para Autorização Prévia poderão ser enviadas via Portal CASU, no menu Fale Conosco ou 
pessoalmente:
 
    •  no Campus Pampulha,
    •  Campus Saúde,
    •  Posto de Atendimento da CASU/UFMG em Diamantina
    •  Posto de Atendimento da CASU/UFMG em Rio Pomba
 
- Recomenda-se sempre confirmar o recebimento pela CASU dos pedidos enviados.
 
- Os pedidos de exames e procedimentos deverão ser codificados e apresentados na guia padrão TISS - Troca de Informação em Saúde Suplementar, da Agência Nacional de Saúde, contendo o nome completo do beneficiário, carimbo e assinatura do médico assistente e justificativa para a realização do procedimento.
 
 - Prazos de respostas para solicitação de autorização de procedimentos e serviços:
  • Urgência e Emergência. Resposta Imediata,
  • Outros casos em que não é possível resposta imediata. Em até 5 dias úteis,
  • Procedimento de alta complexidade ou internação eletiva. Em até 10 dias úteis.
- O ano contrato de cada associado conta-se a partir da data de adesão até o 365ºdia subseqüente. Portanto, se você aderiu à CASU/UFMG em 20 de março de 2005, seu ano contrato é: 20/03/06 a 19/03/07.
 
- Entre sempre em contato conosco quando tiver dúvida sobre qual é o seu ano/contrato e para confirmar se você ainda não realizou o procedimento no ano vigente. Você pode resolver isto através do "CASU 24 Horas" 3499-7200.
 
- Não deixe de buscar os resultados dos exames realizados e mostrá-los ao médico que os solicitou. Assim você fica protegido, evita repetição de exames e desperdício de tempo e dinheiro.
 
 
- Para cirurgias que utilizam órteses, próteses e/ou materiais especiais é necessário aguardar a liberação dos mesmos. Conforme nosso Regulamento, a lei 9656/98 e a ANVISA, somente cobrimos materiais e próteses nacionais (exceto quando não existir similar nacional).
 

- Eventualmente, o associado precisará comparecer à CASU/UFMG para realização de perícia médica. Alguns procedimentos médicos necessitam da avaliação de nossos médicos peritos para sua liberação.

 

Não é necessária autorização prévia para realização dos procedimentos listados abaixo:
 
- Audiometria
- Biometria

- Campo Visual
- Cistoscopia e/ou uretroscopia;
- Densitometria Ossea
- Ecocardiograma bidimensional com doppler e a cores;
- Ecodoppler fetal com mapeamento de fluxo a cores;
- Ecodoppler transesofágico;
- Eletrococleografia;
- Fisioterapia
- Hemostasia do colon;
- Mamografia
- Manometria Esofágica;
- Monitorização ambulatorial de pressão arterial (MAPA) – 24 h;
- Paquimetria
- Pesquisa de potencial auditivo de tronco cerebral (BERA);
- Ressonância Magnética.
- Sistema Holter – 24 horas – 2 canais;
- Teste ergométrico
- Ultrassonografia
- Urodinâmica completa (002.005.006.007);
- Urofluxometria;
- Videolaringoestroboscopia;

 
 
O ano contrato de cada associado conta-se a partir da data de adesão até o 365º dia subsequente. Portanto, se você aderiu à CASU/UFMG em 20 de março de 2005, seu ano contrato é: 20/03/06 a 19/03/07 e assim por diante. O ano contrato consta no cartão da CASU.
 
 
Exames que necessitam de autorização prévia:

-Tomografia de Articulações Temporomandibulares (TC de ATM)
-Tomografia Dental. (Dentascan)
-Tomografia para PET dedicado Oncológico (Pet Scan oncológico (com diretrizes de utilização)
- Angiotomografia de Coronaria (com diretrizes de utilização)
-Tomografia de Mandíbula
-Tomografia de Maxila
- OCT (com diretrizes de Utilização)
- Ecoendoscopia

 

Rede Credenciada

CASA CASU

O que é a CASA CASU?

A CASA CASU - Centro de Assistência à Saúde Avançado consiste no serviço próprio ambulatorial, para atendimento de consultas eletivas/programadas, situado à Rua Artur Itabirano, 428 (esquina com Alameda das Princesas, 756) – São José - Pampulha e Rua Artur Itabirano, 383- São José - Pampulha.

Quais são as especialidades que são oferecidas na CASA CASU?

Cardiologia, Clínica Geral/Médica, Dermatologia, Endocrinologia e Metabologia, Endocrinologia e Metabologia Pediátrica, Ginecologia e Obstetrícia, Nutrição, Psicologia, Pediatria, Reumatologia

Como fazer para marcar consultas?

Na CASA CASU, os associados podem agendar atendimento de forma programada, pelo telefone: 3499-7200, 24 horas por dia, 7 dias por semana, com profissionais qualificados e empenhados em oferecer o melhor atendimento em saúde.

Por que consultar na CASA CASU?

Imbuídos dos valores compartilhados pela CASU, os profissionais médicos, enfermeiros, nutricionista e psicólogos da CASA CASU atendem os associados de forma atenciosa e personalizada. Essa postura, a disponibilidade de recursos inovadores de informática, investimento estratégico em estrutura física e equipamento médico e a presença cada vez maior dos associados são a receita da CASU para melhorar sua qualidade de vida. Venha participar dessa proposta você também!

RIS

O que é a RIS?

RIS significa Rede de Interação em Saúde e é uma rede de profissionais da área da saúde compromissados em auxiliar, principalmente, na agilidade na marcação dos atendimentos para associados CASU. Ela tem a preocupação de priorizar as consultas para aqueles que precisam de um acompanhamento mais detalhado, além de buscar a promoção/resgate do vínculo entre a equipe de saúde e o paciente, em um esforço de atuação voltado aos programas de prevenção e qualidade de vida.

Como Funciona?

Os associados telefonam para os consultórios dos médicos da RIS agendam suas consultas, ou caso prefiram, podem ligar para as enfermeiras do NIS: 3499-7200.

Quais são os diferenciais que a RIS possui?

Resgatar a relação médico-paciente. • Garantir o agendamento de consultas iniciais, aos beneficiários da CASU, em prazo máximo de: » 7 (sete) a 10 (dez) dias corridos para Pediatria, Clínica Médica, Cirurgia Geral, Ginecologia e Obstetrícia, e Ortopedia e Traumatologia. » 10 (dez) dias corridos para demais especialidades médicas. • Os profissionais integrantes da RIS irão participar de forma ativa nos Programas de Prevenção e Qualidade de Vida, desenvolvidos pela CASU, redigindo artigos educativos que serão disponibilizados para os associados.

Rede Convencional

Prestadores de serviço em saúde

 

Documentos para Adesão

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ADESÃO AO PLANO CASU/UFMG
 
TITULAR DO PLANO:
 
PROFESSOR(A), FUNCIONÁRIO(A)
•  Xerox do último contracheque (frente e verso);
•  Xerox da Carteira de Identidade e CPF (frente e verso);
•  É necessário o xerox do último contracheque do titular para a adesão e inclusão de qualquer dependente.
 
RECÉM-CONTRATADO(A), PROFESSOR(A) SUBSTITUTO(A)
•  Cópia do Diário Oficial ou cópia do contrato ou declaração do departamento onde está efetivado;
•  Xerox da carteira de identidade e CPF (frente e verso).
 
DEPENDENTES DO PLANO:
 
ESPOSO(A),GENRO, NORA
•  Xerox da Certidão de Casamento;
•  Xerox da Carteira de Identidade e CPF (frente e verso);
 
FILHO(A), NETO(A), ENTEADO(A)
•  Xerox da Certidão de Nascimento (para todos);
•  Xerox Carteira de Identidade e CPF (acima de 18 anos);
Obs.: Declaração IRRF para inclusão de enteado(a).
 
MÃE, PAI, IRMÃO, IRMÃ
•  Xerox da Carteira de Identidade e CPF (frente e verso).
Obs.: É permitida a inclusão dos pais e irmãos apenas se houver a inclusão dos filhos menores.
 


A Tabela abaixo aplica-se aos produtos:

  • CASU ENFERMARIA - 453.443/04-3
  • CASU APARTAMENTO - 453.444/04-1
  • AGREGADO CASU ENFERMARIA - 466.251/12-2
  • AGREGADO CASU APARTAMENTO - 466.250/12-4
  • IFES V ENFERMARIA COPARTICIPATIVO - 470442/14-8
  • IFES V APARTAMENTO COPARTICIPATIVO - 470443/14-6
  • CASU ENFERMARIA COPARTICIPATIVO - 470446/14-1
  • CASU APARTAMENTO COPARTICIPATIVO - 470444/14-4
  • CASU AGREGADO ENFERMARIA COPARTICIPATIVO - 470445/14-2
  • CASU AGREGADO APARTAMENTO COPARTICIPATIVO - 470441/14-0

 

Art. 1º - Além da contribuição mensal devida pelo Beneficiário, será cobrada coparticipação na utilização dos serviços, conforme quadro a seguir:




 1. Consultas: coparticipação de R$ 19.46 , por procedimento:
  
  • 
 2. Exames do Grupo 1: coparticipação de R$ 3.25 , por procedimento:
  2.1. Procedimentos listados nos grupamentos da Tabela Referencial da CASU/UFMG - TUSS - Terminologia Unificada da Saúde Suplementar nos seguintes grupamentos:
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (eletrofisiológicos/mecânicos e funcionais) - ECG - TE;
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (eletrofisiológicos/mecânicos e funcionais) - exames ósteo-músculo-articulares;
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (eletrofisiológicos/mecânicos e funcionais) - função respiratória;
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (medicina laboratorial) e seus subgrupos;
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (métodos diagnósticos por imagem) - radiografias e seus subgrupos;
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (exames especificos) - procedimentos;
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (testes para diagnósticos) - procedimentos;
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (outros) - procedimentos diagnósticos (exceto tomografia de coerência óptica - OCT).
 3. Exames do Grupo 2: coparticipação de R$ 25.95 , por procedimento:
  3.1. Procedimentos listados nos grupamentos da Tabela Referencial da CASU/UFMG - TUSS - Terminologia Unificada da Saúde Suplementar nos seguintes grupamentos:
  • Procedimentos clínicos (ambulatoriais) - monitorizações;
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (eletrofisiológicos/mecânicos e funcionais) - sistema nervoso;
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (eletrofisiológicos/mecânicos e funcionais) - endoscopia diagnóstica (exceto ecoendoscopias);
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (eletrofisiológicos/mecânicos e funcionais) - endoscopia intervencionista (exceto ecoendoscopias);
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (genética) - genética bioquímica;
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (genética) - genética molecular;
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (anatomia patologica e citopatologia) - procedimentos;
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (medicina nuclear) e seus subgrupos, (exceto pet-scan);
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (métodos diagnósticos por imagem) - neurorradiologia;
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (métodos diagnósticos por imagem) - radioscopia;
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (métodos diagnósticos por imagem) - angiorradiologia;
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (ultra-sonografia) e seus subgrupos.
 4. Exames do Grupo 3: coparticipação de R$ 51.88 , por procedimento:
  4.1. Procedimentos listados nos grupamentos da Tabela Referencial da CASU/UFMG - TUSS - Terminologia Unificada da Saúde Suplementar nos seguintes grupamentos:
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (eletrofisiológicos/mecânicos e funcionais) - tubo digestivo;
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (genética) - citogenética;
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (tomografia computadorizada) e seus subgrupos;
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (ressonância magnética) e seus subgrupos;
  4.2. Procedimentos que contenham a seguinte terminologia na Tabela Referencial da CASU/UFMG - TUSS - Terminologia Unificada da Saúde Suplementar:
  • Tomografia de coerência óptica;
  • OCT.
 5. Exames e Procedimentos do Grupo 4: coparticipação de R$ 77.84 , por procedimento:
  5.1. Procedimentos que contenham a seguinte terminologia na Tabela Referencial da CASU/UFMG - TUSS - Terminologia Unificada da Saúde Suplementar:
  • PET dedicado;
  • TC para PET dedicado;
  • PET-CT;
  • Ecoendoscopia;
  • Oxigenioterapia hiperbárica.
 6. Terapias: coparticipação de R$ 10.38 , por procedimento:
  6.1. Procedimentos que contenham a seguinte terminologia na Tabela Referencial da CASU/UFMG - TUSS - Terminologia Unificada da Saúde Suplementar: consulta, sessão, atendimento, orientação, análise, acompanhamento ou avaliação em:
  • Acupuntura;
  • Fisioterapia;
  • Terapia ocupacional;
  • Fonoaudiologia;
  • Nutrição;
  • Psicologia;
  • Psicoterapia.
  6.2. Procedimentos listados nos grupamentos da Tabela Referencial da CASU/UFMG - TUSS - Terminologia Unificada da Saúde Suplementar nos seguintes grupamentos:
  • Procedimentos clínicos (ambulatoriais) - reabilitações/sessões
  • Procedimentos clínicos (ambulatoriais) - terapêutica (exceto oxigenioterapia hiperbárica e crioterapia)
 7. Outros Atendimentos Ambulatoriais (quando não realizados em regime de internação): coparticipação de R$ 25.95 , por procedimento:
  7.1. Procedimentos listados nos grupamentos da Tabela Referencial da CASU/UFMG - TUSS - Terminologia Unificada da Saúde Suplementar nos seguintes grupamentos:
  • Procedimentos clínicos (ambulatoriais) - avaliações/acompanhamentos (exceto consultas);
  • Procedimentos clínicos (ambulatoriais) - terapêutica;
  • Procedimentos cirúrgicos e invasivos e seus subgrupos;
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (métodos intervencionistas por imagem) - métodos intervencionistas / terapêuticos por imagem.
  7.2. Procedimentos que contenham a seguinte terminologia na Tabela Referencial da CASU/UFMG - TUSS - Terminologia Unificada da Saúde Suplementar:
  • Crioterapia.
 8. Internação Enfermaria - para produtos cuja descrição esteja especificada como Enfermaria : coparticipação de R$ 77.84 , por internação, independente da duração.
  
  • 
 9. Internação Apartamento - para produtos cuja descrição esteja especificada como Apartamento: coparticipação de R$ 129.72 , por internação, independente da duração.


Art. 2º - Não haverá cobrança de coparticipação nos atendimentos ambulatoriais relacionados a seguir:


1. Procedimentos listados nos grupamentos da Tabela Referencial da CASU/UFMG - TUSS - Terminologia Unificada da Saúde Suplementar nos seguintes grupamentos:

- Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (medicina transfusional) e seus subgrupos;

- Procedimentos diagnósticos e terapêuticos (radioterapia) e seus subgrupos;



2. Procedimentos que contenham a seguinte terminologia na Tabela Referencial da CASU/UFMG - TUSS- Terminologia Unificada da Saúde Suplementar:

- Hemodiálise;

- Hemodepuração de casos agudos ou diálise peritoneal;

- Terapia oncológica;

- Mamografia;

- Antígeno específico prostático;

- PSA;

- Pesquisa de sangue oculto nas fezes;

- Coleta de material cérvico-vaginal;

- Procedimento diagnóstico em citopatologia cérvico vaginal oncótica



- A Tabela Referencial da CASU/UFMG - TUSS - Terminologia Unificada da Saúde Suplementar, com a relação detalhada de todos os procedimentos que fazem parte dos grupamentos aqui referenciados, contendo os códigos e respectivas descrições, está disponível para consulta no portal da CASU/UFMG.

- A coparticipação nas internações psiquiátricas está sujeita às regras da Agência Nacional de Saúde (ANS) e dos Regulamentos da CASU/UFMG.

- Anualmente, na data de referência para cada instituição conveniada, serão corrigidos os valores das coparticipações, adotando-se os mesmos índices aplicados às tabelas de mensalidades dos planos.



Tabela vigente a partir de 01/02/2017